Palha Italiana

11 jun

Estamos na véspera do dia dos namorados! Alegria para alguns, tristeza para outros, ou simplesmente mais um dia qualquer. Desde que namoro considero o dia dos namorados uma data meio… TENSA.

Seja para dar um presente inovador, um presente útil… É sempre uma correria danada. Shoppings lotados na semana anterior, restaurantes insuportáveis na data em si… Resolvi que dessa vez, por estes motivos, o presente será um jantarzinho especial.

Como terei um dia mais agitado amanhã, preferi já deixar a sobremesa pronta. Na verdade ela é tão simples que poderia ter deixado para faze-la amanhã mesmo. Mas aí teria menos tempo para curtir ❤

Encontrei a receita no site do GNT, mas mudei algumas coisinhas… Acho que depois da receita do milk shake, essa foi a mais tranquila de se fazer!

A primeira camada… Chocolate ❤

PALHA ITALIANA

Ingredientes:

  • 1 pacote de biscoito de maisena
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de creme de leite
  • 1 colher de sopa de manteiga sem sal
  • 4 colheres de sopa de Nescau*
*A receita original pedia chocolate em solúvel 32%, mas não faço ideia do que seja isso então usei o bom e velho Nescau…

Modo de preparo:

Em uma panela junte o leite condensado, a colher (sopa) de margarina manteiga sem sal e o chocolate em pó.

Leve ao fogo brando, mexendo sempre até soltar o fundo da panela.

Retire do fogo e acrescente o creme de leite. Coloquei junto com o soro porque é lá que estão as proteínas! Mas tudo bem se não quiser colocar o soro… Misture bem e reserve.

Bata no liquidificador 1/3 ou metade de um pacote de biscoito para formar uma farinha, acabei fazendo com metade e sobrou muito.  Reserve.

Quebre em pedaços o restante dos biscoitos.

Unte um refratário e adicione partes dessa farinha.

Faça uma camada de creme de chocolate e outra de biscoito quebrado, até terminar, sendo a ultima camada de chocolate.

Use o restante da farinha de biscoito para decorar.

Leve a geladeira para pegar consistência e depois sirva em pedaços.

O que eu fiz ainda está na geladeira. Mas gostei muito da mistura do brigadeiro com o creme de leite, ficou mais suave. Quem preferir não colocar o creme de leite, para deixar um gosto mais forte de chocolate, fique a vontade. Outra sugestão é, ao invés de fazer em camadas, misture tudo e distribua em copinhos ou tacinhas.

Amanhã devo fazer polpetone com arroz a piamontese. Espero que dê certo… Na pior das hipóteses comeremos pão de queijo enquanto assistimos south park.

Anúncios

Brownie com Nozes

21 maio

Essa é sem dúvidas a minha receita favorita! A encontrei no Rainhas do Lar e resolvi experimentar. Gosto do brownie menos fofo e mais molhadinho e a foto desta receita mostrava bem isso… fiquei tentada. Logo quando testei encontrei o meu amor.

Não é uma receita muito divertida, ou com processos interessantes (como descascar tomates por exemplo), de fato, picotar o chocolate é uma tarefa chata quando não se tem uma boa faca, ou um “juicer walita” com um milhão de funções.

Algum desses corta chocolate né?

Além de cortar o chocolate, as nozes também podem ser um incômodo… Mas não para o meu namorado. Eu explico: uma das vezes que fiz a receita resolvi pedir ajuda (aos universitários) e pedi para que ele cortasse as nozes. Fui clara, tamanhos variados, não precisava ser uma coisa milimetricamente calculada mas acho que isso não funciona para (futuros) engenheiros…

Enquanto sofria com o chocolate, acabei não dando muita atenção para o que ele fazia com as nozes. Quando terminei, lá estava a desgraça. Ele havia RALADO as nozes! Eu tinha a disposição “farinha de nozes” para usar. O pior de tudo é que Iaia ainda apareceu dizendo que aquilo era uma ótima idéia!

A princípio ralar nozes pode acelerar o processo, porém, também altera o sabor! No final das contas senti mais gosto de nozes do que de chocolates naquele brownie (fora que perde aquela “cocrância”).

Mas vamos a receita!

BROWNIE COM NOZES

Ingredientes:

240g de chocolate meio amargo picado (uso um tablete e meio do chocolate “amaro” da lacta, porque chocolate meio amargo é uma raridade, e acho que deve ser a mesma coisa…)

2/3 xícara de manteiga (já usei com e sem sal.. não notei diferença)

4 ovos

1/2 xícara de creme de leite

1 colher de chá de essência de baunilha (sempre boto menos)

1 xícara e meia de açúcar de confeiteiro

1 xícara de farinha de trigo

1 xícara de nozes picadas (ou macadâmia, mas nesta ultima vez fiz com castanha do pará)

Preparo:

Primeiro começo pré aquecendo o forno a 180ºC (pelo menos é o que meu forno indica…). Depois forro uma forma de 21 x 31cm com papel manteiga e aí sim começo a preparar a massa.

Em banho maria, derreta o chocolate picado com a manteiga. Quando estiver bem derretido (sem pedacinhos de chocolate ou manteiga), coloque o chocolate em uma vasilha grande (dessas de batedeira, por exemplo). Em uma vasilhinha a parte, bata ligeiramente os ovos e transfira para a vasilha onde está o chocolate. Mexa com um fouet os ovos e o chocolate para misturar bem. Acrescente aos poucos o creme de leite, a baunilha, a  o açúcar de confeiteiro e a farinha de trigo, misturando bem a cada ingrediente adicionado. Mexa até a massa ficar homogênea e acrescente as nozes picadas (e não raladas). Como desta vez usei castanhas do pará, acabei usando a técnica para descascar alho: Pressionei as castanhas com a faca deitada. Realmente ficaram grosseiramente picadas… Despeje na forma e leve ao forno até que a superfície pareça sequinha.

Deixe esfriar para desenformar… E devore quando estiver quente, morno, de qualquer forma. Vale acrescentar sorvete, algo que particularmente  não gosto, o brownie é supremo demais para “se misturar com essa gentalha”.

Bem… Eu continuo sem máquina. Este brownie merecia várias fotos! Mas as imagens do Rainhas do Lar já são mais do que o suficiente para explicar como fazer e porque fazer esta receita tãao deliciosa!

Bolo de Baunilha com recheio de geléia

4 maio

Depois de uma longa pausa, estou de volta. Nesse meio tempo fiquei doente, tive uma semana de prova e… o velho problema da preguicite (cronica) aguda . Mas nem por isso fiquei 100% alheia ao blog! Acumulei um número razoável de receitas para experimentar e cheguei a uma conclusão: Doces chamam muito mais a minha atenção.

Juro que tentei pegar muitas receitas de salgados. Mas depois de uma frustrante tentativa de fazer uma massa à carbonara fiquei meio traumatizada… Ainda mais por ter sido na cozinha da sogra.

Nesta ausência também tive uma experiencia nova. Confeitei um bolo. Meu namorado pediu para uma amiga minha (beijos Paulinha!), boleira de mão cheia, fazer um bolo de aniversário para um amigo dele. Mas não bastava ser um bolo de chocolate com m&ms em cima e coisas do tipo. Ele queria o companion cube, um cubozinho de um jogo que ele e seus amiguinhos jogam (Portal).

Ela fez o bolo de chocolate, o brigadeiro pra servir de recheio mas teve que sair mais cedo pois tinha um compromisso especial naquele dia. Então fiquei com a tarefa de confeitá-lo. Naquele dia em especial eu não estava com muita paciência para fazer algo tão trabalhoso… Mas fiz e o resultado final ficou legal e fez sucesso no facebook hahaha.

E aí está o bolo. E a prova de que continuo sem máquina fotográfica

Além disso, fui assistir American Pie no cinema com o Diogo, mas no meio tempo paramos na Saraiva e encontrei esse livro adorável, cheio de receitinhas de bolos fofinhos. Não aguentei e trouxe para casa, mesmo sendo em inglês, já que estava em promoção…(!)

Só não veio com a espátula rosa…. 😦

Tem bolos de frutas, de chocolate, de baunilha, de mel, de… uma infinidade de bolos! Então resolvi voltar com um post de.. bolos! Aproveitei que tinha tudo necessário para fazer a primeira receita: Vanilla Sponge Layer Cake. 

A foto não é minha, mas o bolo fica mais ou menos assim…

Bolo de Baunilha com recheio de geléia (Serve de 6 a 8 pedaços, dependendo do pedaço claro)

Ingredientes do bolo:

– Óleo/manteiga para untar

– Uma xícara e meia de farinha

– Uma colher de sopa de farinha

– 3/4 de xícara de manteiga sem sal amolecida

– 3/4 de xícara de açúcar refinado (bem generosa)

– Três ovos batidos

– Uma colher de chá de extrato de baunilha (coloquei um pouco menos..)

– Duas colheres de sopa de leite

Preparo:

-Pré aqueça o forno em 180°C

– Unte uma forma redonda de 20cm de diâmetro e coloque papel manteiga

– Em uma vasilha grande, misture a farinha, o fermento, a manteiga, o açúcar refinado, os ovos batidos e o extrato de baunilha. Misture tudo até a massa ficar macia (“beat well until the batter is smooth“, foi meio no olhômetro né, porque massa macia…) e depois adicione o leite. Primeiro misturei os ingredientes com uma espátula dessas que nem da foto do livro e depois bati mais um pouco na batedeira, por desencargo. No livro não explicava!

– Coloque a massa na forma e deixe assar por 25-30 minutos. Como o meu forno é LOUCO, eu fiquei umas 2 horas, aumentei a temperatura e tudo mais.. A massa deve ficar dourada.

– Tire a forma do forno e deixe esfriar por 2-3 minutos e depois desenforme.

*Para que o bolo tenha 2 andares duplique a receita e o número de formas.. heheh, ou faça como eu e corte o bolo no meio do círculo, fazendo um “meio bolo de dois andares”

Já o recheio não foi tão sucesso… No inicio achei uma delícia e acabei colocando muito, mas ele é bem enjoativo. Na  verdade acho que você pode colocar a cobertura que bem entender.

Ingredientes cobertura:

– 1/4 xícara de manteiga sem sal amolecida

– 1 xícara de açúcar de confeiteiro. Mais um pouco para “enfeitar”

– 1/2 colher de chá de baunilha (não coloquei)

– Geleia de morango (coloquei de framboesa)

Preparo:

Misture o açúcar, manteiga e baunilha e pronto. Coloque o recheio sobre um dos bolos (ou metades do bolo..), depois coloque a geleia sobre o recheio e coloque o outro bolo (ou metade) em cima um do outro.

O resultado ficou bem gostoso, muito mesmo. O bolo ficou macio e a massa não é nem um pouco enjoativa. Da próxima vez devo mudar o recheio… Um detalhe que pode ser importante, ou não, é que não usei xícaras, e sim um copo medidor que tinha as medidas em inglês… O “cup” deles era equivalente a aproximadamente uma xícara e meia.

Devo colocar as fotos do resultado depois, estão no celular e rola uma preguiça para passa-las para o computador! Preciso pegar a máquina fotográfica com minha mãe. Ficar postando com fotos de celular ou encontradas pelo Google não é animador 😦

Até a próxima!

Panquecas!

7 mar

Terça-feira, cheguei em casa depois de um dia ultra cansativo (ok, apenas cansativo) e tudo o que eu queria era um lanche. Não havia comido nada fora um salgado que estava muito (muito!) ruim.

Já cheguei preparada para gritar “IAIAAAAAAAAAAAAAA PÕE MEU LANCHEE” mas notei que ela não estava em casa. A barriga roncava e não poderia esperar por ela. Quando Iaia sai a tarde ela realmente não tem hora para voltar. Ah, é claro que vou explicar quem é Iaia, não vai ser que nem “How I met your mother” que depois de infinitas temporadas ainda não foi dito quem diabos é a mãe deles!

How I met Iaia?

Mas voltando a situação… Pensando nas alternativas, lembrei de uma receita de panquecas postada no G1. Fora que a imagem de panquecas em desenhos animados sempre me foi muito apetitosa e assim resolvi experimentá-la. Já havia feito outra receita, mas não me apaixonei devido ao gosto forte de baunilha…

Agora a receita!

Tico e teco ❤

PANQUECA AMERICANA (8 panquecas)

Ingredientes:

1xícara de chá de farinha de trigo

1xícara de chá de leite

2 colheres de sopa de manteiga derretida

2 colheres de sopa de açúcar

1 colher de sopa de fermento em pó (acidentalmente coloquei duas)

1 ovo

1 colher de chá de sal

Modo de Preparo:

Primeiro misturei os secos em uma vasilhinha e em outro recipiente bati o ovo, acrescentei a xícara de leite e a manteiga derretida, em seguida foi só colocar a mistura dos ingredientes secos na mesma vasilha onde o ovo foi batido e misturar tudo!

Depois, com uma concha, é só colocar a massa em uma frigideira antiaderente untada com manteiga. Deixei em fogo baixo pois a primeira panqueca foi um desastre (carvãozinho). Para virar a panqueca basta usar uma espátula e ficar “cutucando” as beiradas da massa para ver se ela já está “sequinha”. Se já estiver soltando do fundo da frigideira você pode virá-la, aí está a parte mais complicadinha (ainda mais se fizer em uma frigideira dessas pequenininhas).

Para acompanhar eu usei manteiga, geléia de framboesa e mel. Claro que não foi tudo misturado, mas como tinha muita panqueca para uma pessoa só eu fiz quase que um rodízio! Hahahaha.

No melhor estilo the sims

Gostei do resultado, a massa ficou super fofa e a única coisa que mudaria seria comer com geléia gelada. Como eu tinha acabado de comprá-la ainda estava em temperatura ambiente.

Devo dizer que não comerei panquecas doces tão cedo… Não depois de devorar sete panquecas. E quando repetir a receita com certeza será para mais pessoas! Agora uma dúvida: Como o Adam* conseguiu comer tantas panquecas?

Olha o tamanho dos morangos!

Sobre a foto, devo me desculpar… Acabou a bateria da máquina e eu não encontro o carregador em lugar algum! A solução foi usar o meu celular, que não é lá uma Brastemp e fez o favor de apagar muuuuitas fotos, só restando esta, que enviei para o Diogo na hora que comecei a comer…

*Adam é o apresentador do programa Man vs Food, que é extremamente divertido e passa no Fox Life.

Crumble de Maçã

29 fev

Para a sobremesa do jantar da última sexta feira, procurei algo que fosse agradável a todos. A resposta poderia ser “qualquer coisa de chocolate”, mas não achei que chocolate combinasse com as massas. E se tem uma coisa que EU gosto é doce de maçã… Bolo de maçã, torta de maçã do Mc Donalds… A combinação maçã e canela SEMPRE é certeira para mim.

Além disso, queria uma sobremesa bonitinha. Como o jantar não pode ficar com uma apresentação que eu gostaria, pelo menos a sobremesa teria que ficar fófis. E se tem algo fofinho é sobremesa nesses potinhos individuais, como os ramequins dos suflês. O problema é que aqui em casa não tinha os malditos ramequins, o que me deixou tensa inicialmente… Mas como encontrei rapidamente no Pão de Açúcar fiquei mais tranquila.

Um dos problemas dessa receita era o caramelo. Tenho péssimas experiencias tentando fazer caramelo… Minha mãe e Iaia também não se dão bem com a combinação açúcar e água. Assim, tive que colocar um dos convidados (oi, Diogo) na cozinha.

Vamos para a receita… Novamente retirada do Dedo de Moça

Surpreendi com a florzinha de amêndoas... Ahahaha

CRUMBLE DE MAÇÃ (6 porções)

Ingredientes:

Recheio

8 Maçãs Fuji (não encontrei em lugar algum, acabei usando maçã nacional mesmo)

120g de açúcar

60ml de suco de laranja

Farofa

100g de farinha de amêndoas

100g de farinha de trigo

100g de açúcar

100g de manteiga

1 colher de sopa de canela

Caramelo

120g de açúcar

30ml de água

Preparo:

Comecei pela “farofa”. Coloquei entre aspas pois a textura final foi mais de uma massaroca do que de farofa mesmo, acho que se colocasse menos manteiga daria mais certo. Tudo o que você precisa fazer é misturar os ingredientes, simples assim. Para a farinha de amêndoas eu soquei as amêndoas em um pilão (como eu gostaria de ter um processador de alimentos).

Para o recheio, descasquei as maçãs com um descascador de legumes. Foi incrivelmente divertido! Depois é preciso cortá-las em cubos não muito pequenos, já que na hora de cozinhar eles diminuem de tamanho. Nessa hora pedi ajuda para os universitários minha mãe e Iaia (ainda vou explicar melhor quem é Iaia), pois tinha acabado de servir a massa e estava com fome… Heheh. Depois, basta juntar a maçã em cubos, o suco de laranja e o açúcar em uma panela para cozinhar um pouco, até que a calda encorpe um pouco e a maçã fique “pré-cozida”.

O caramelo foi usado na montagem da sobremesa. Para fazê-lo deve-se levar o açúcar e a água a fogo baixo até virar o famigerado caramelo e devemos usá-lo ainda quente para caramelizar os ramequins (coloque pouco caramelo em cada forminha). Depois, colocamos as maçãs nas formas até completar 2/3 do tamanho e assim completar o resto com a farofa, que deveria ser soltinha…

Por fim, devemos levar ao forno pré aquecido a 180ºC até dourar (o que nunca aconteceu).

Achei o resultado muito gostoso, mas talvez use menos suco de laranja da próxima vez e definitivamente menos manteiga, para ver se a textura da farofa fica mais soltinha.

OBS: eu não sabia o que era um “Crumble”, mas nada como o wikipédia para nos explicar

Crumble é um prato doce de origem britânica, feito de compota de frutas picadas cobertas com uma mistura de gordura (geralmente, manteiga), farinha e açúcar, assado até que a cobertura fique crocante*. Muitas vezes, é servido com creme, nata ou sorvete, como uma sobremesa substanciosa após uma refeição quente.

*Pena que o crocante foi fail

Molho de Queijos

26 fev

Ah, que dia…

Marquei um jantar com 2 amigos muito especiais e meu namorado nesta última sexta-feira, mas calhou de ser no dia seguinte a uma ida ao Engenhão, ou seja, cheguei muito tarde e dormi muito tarde, tendo que acordar cedo para a aula. Além disso, ainda tinha que comprar os ingredientes e encontrar os ramequins (aquele potinho usado para suflês) para usar na sobremesa. Resultado: comecei a fazer o jantar muito exausta. Ainda bem que no final deu tudo certo.

Para o jantar fiz macarrão. Porque né, é bem simples de se fazer. O problema foi escolher o molho. Queria fazer apenas o Penne Arrabbiata, mas como meu namorado e minha amiga não são tão fãs de coisas apimentadas, resolvi fazer outro molho. Claro que poderia simplesmente fazer metade molho de tomate e metade arrabiata, mas onde estaria o desafio? Escolhi fazer um molho de queijos do livreto de molhos fáceis do Dedo de Moça. Também resolvi fazer uma sobremesa… Acho que nunca passei tanto tempo dentro de uma cozinha!

Para o molho de queijos havia uma infinidade de opções. Seguindo a receita, chegou um momento que eu tinha que escolher entre roquefort e gorgonzola. Nunca comi roquefort, mas já tinha comido o gorgonzola e sabia que deveria usar com parcimônia, já que não é todo mundo que é fã. Ainda em dúvida, perguntei para minha mãe o que ela achava e ela disse para escolher o roquefort. Quando encontrei um pedaço de roquefort, feliz da vida depois de uma longa procura no Pão de Açúcar, me assustei com o preço. Mais de 100 reais em um pedaço de queijo? Não pode. Claro que era um GRANDE pedaço, mas ainda assim era obviamente caro demais.

Mas não se nega uma escolha da minha mãe assim tão facilmente, se ela preferia roquefort é porque aquele queijo devia ser muito gostoso. Logo do lado do roquefort estava o gorgonzola. Peguei 1 pedaço de cada queijo aproximadamente do mesmo tamanho para ver se a diferença do preço seria tão grande. O gorgonzola estava por 11 reais e o roquefort por 30 e poucos. Era uma GRANDE diferença! Assim, para o desempate, perguntei para o Diogo (um dos convidados) qual queijo ele preferia. Quando a resposta foi gorgonzola eu pude respirar aliviada.

Agora vamos para a receita!

MOLHO DE QUEIJOS (DEDO DE MOÇA):

Ingredientes:

½ cebola cortada ao meio

2 cravos da índia

1 folha de louro fresco

4 colheres de sopa de farinha de trigo

2 Colheres de sopa de manteiga sem sal

½ litro de leite integral

1/3 xícara de queijo roquefort ou gorgonzola picados (usei o gorgonzola)

1/3 de xícara de chá de queijo estepe, ementhal, gruyère ou fontina ralado (usei o gruyère)

1/3 xícara de queijo parmesão ralado

Sal

Noz moscada ralada na hora e pimenta do reino moída na hora – opcional (não fiz essa parte, já que o gruyère deixa o molho um pouco mais adocicado e era o molho de alternativa pros não amantes de pimenta)

Preparo:

Comecei preparando a cebola Piquet (?????), isso é, peguei a ½ cebola, fiz um corte e inseri o louro, depois espetei 2 cravinhos da Índia.

Cebola Piquet simpática

Em seguida, derreti a manteiga em uma panela em fogo médio-baixo e adicionei a farinha de trigo de uma vez só. Mexa bem a mistura por 30 segundos, usei um fouet para isso. Depois acrescentei o leite aos poucos, mexendo bastante para não formar grumos. E aí sim coloquei a cebola Piquet. Fiquei mexendo o molho por mais 10 minutos para não grudar no fundo da panela.

Por fim, adicionei os queijos e mais leite, para chegar a uma consistência mais fluida. Usei o gruyère em maior proporção, porque me apaixonei por esse queijo, o que acabou deixando a transição dos sabores dos queijos mais puxada para o doce (mas dava para identificar os 3 queijos).

Mesmo adicionando mais leite, o molho continuou com uma textura mais densa do que estou acostumada e como não servi o molho misturado com o macarrão, na hora dos convidados fazerem os pratos não foi tão simples de misturar o molho à massa.

Ainda assim, fiquei muito satisfeita com o resultado dos molhos. Gostaria que o arrabbiata tivesse ficado mais apimentado, mas minha mãe vetou o uso de mais uma pimenta malagueta…

PS: A falta de fotos do resultado dos molhos se deve à minha pressa para fazer a sobremesa :(. Esta ficará para o próximo post!

A jornada dos Biscoitinhos Amanteigados

14 fev

É uma receita simples, bem fácil mesmo… MESMO! Mas tinha tudo, TUDO, para dar errado. Como fazer biscoitinhos pode acabar gerando uma jornada ou pelo menos o maior post do blog…

Caso você queira ver apenas a receita vá para o final do post.

No sábado passado resolvi fazer esses biscoitos pois meu namorado ia voltar de viagem no domingo e planejei de encontrar com ele no Jardim Botânico para fazer um piquenique ou um lanchinho mesmo. Coisa simples…

Separei os ingredientes, tirei a manteiga da geladeira para derreter um pouco (com a temperatura de verão foi vapt vupt). Quando resolvi colocar a mão na massa reparei que a farinha estava vencida. Sim, vencida… Como ficamos quase dois meses longe do apartamento eu deveria ter pensado nisso antes.

Deixei os ingredientes no balcão e fui no mercado rapidinho. Porém esqueci de um detalhe. Meu avô estava aqui neste final de semana… Quando voltei pra cozinha lá estava ele passando manteiga nas torradinhas. Mas não era a manteiga do manteigueiro (palavra engraçada de escrever), era a manteiga que eu tinha separado para a receita, e eu tinha separado a quantia EXATA para a receita.

Esperei ele sair, coloquei a farinha e quando estava para colocar a manteiga ele me chamou.

– Clara, liga o ar condicionado pra mim e.. deixa, está com a mão suja.

– Sem problemas vô, eu lavo a mão e ligo.

– Então pode ligar que eu fico aqui mexendo aqui a massa pra você

– Não vô, pode deixar… – e comecei a me dirigir para o quarto

– Mas eu gosto de cozinhar

– Eu também gosto… – sussurrei no corredor

Liguei o ar e voltei para a cozinha, e lá estava ele mexendo. Falei que já tinha ligado e que ele deixasse eu terminar de mexer a massa. Meu avô gosta muito de doces e aqui em casa nós não temos muito costume de comer doce (esqueça que das 4 receitas que eu postei até o momento 3 são doces), mas lembrei que ainda tinha o sorvete de creme que comprei para o milk-shake de nutella e contei pra ele, que já tinha virado as costas e dado boa noite.

Terminei de fazer a massa, mas como da última vez que fiz os biscoitos derreteram eu resolvi colocar um para assar. Deixei o forno pré-aquecendo um pouco. Nesse meio tempo saí da cozinha e quando voltei era uma sauna. Infelizmente não tinha cheiro de eucalipto. A primeira coisa que me passou pela cabeça foi “f*deu” e já ia começar a reagir igual aos bonequinhos de the sims quando há incendio. Foi quando abri o forno e vi que tinham derramado óleo e ele estava queimando. Ou seja, adeus biscoitos a não ser que eu os quisesse defumados. Claro que não queria. Teria que esperar o forno esfriar para limpar a lambança. Só que eu não sei limpar esse tipo de lambança (e praticamente nenhum outro tipo) e Iaia e minha mãe estavam dormindo.

Como o local de onde tirei a receita não indicava o tempo e a temperatura do forno, aproveitei o biscoito-cobaia para ver se a massa estava boa mas não seria possível comer devido à fumaça do óleo. Era só guardar o resto da massa para assar no domingo, assim que o forno estivesse limpo. Passaram uns 15 minutos e o biscoito continuava molenga, resolvi então aumentar a temperatura e justamente após isso meu avô entrou na cozinha pedindo sorvete.

Quando abri o congelador… Tinha tudo na frente, menos o sorvete! Desenterrei e encontrei, mas era de flocos. Claro que ele não gosta de sorvete de flocos. Desenterrei mais e achei o sorvete de creme. Abri o pote e o ajudei a colocar o sorvete mega congelado. Guardei tudo com muita dificuldade (congelador é algo pequeno ou coisas congeladas é que são grandes? E por que havia tanto frango? Vamos abrir um KFC?) e estava prestes a dar uma olhada no biscoito-cobaia quando o telefone tocou.

Aqui em casa eu sou praticamente a secretária, sempre atendendo telefones e os telefonemas nunca são pra mim. Mas desta vez não. Um primo me ligou para saber se eu tinha alguns livros e queria falar com meu pai. Passei o telefone e fui ver o bisc….. Carvão.

CARVÃO! Eu já estava tão frustrada pela sequência de eventos. Falta de farinha, torrada com manteiga, óleo derramado no forno, organização do congelador, telefonema… Guardei o resto da massa dentro de um saquinho para tentar fazer no domingo. Como Iaia só foi limpar o forno quando eu estava de saída para encontrar com o namorado, acabei deixando para fazer os biscoitinhos amaldiçoados na segunda feira, sem muita esperança a respeito do sabor, afinal a massa ficou 2 Dias na geladeira.

Ontem fiquei o dia inteiro ocupada em função da cirurgia da minha cadela (que está muito bem), só fiz os biscoitinhos no final da noite, quando ela já estava mais tranquila.

E não é que deu super certo? Mesmo ficando na geladeira, mesmo com toda a conspiração. Eu não conseguia parar de comer um biscoitinho a cada fornada, minha mãe pediu para esconde-los e meu pai queria dar biscoitos para os cachorros (acredite, é porque ele achou gostoso)…

A receita foi retirada do blog Cozinha Cani com um nome muito gracinha. Biscoitinhos 1,2,3!

Manteiga para o meu coração!

BISCOITINHOS AMANTEIGADOS (BISCOITINHOS 1,2,3!)

Ingredientes:

100g de açúcar

200g de manteiga

300g de farinha de trigo

*OBS* como eu não tenho copo medidor ou balancinha, utilizei o site de conversão da UNIRIO, assim, coloquei pouco mais da metade de uma xícara de açúcar e pouco mais que 2 xícaras de farinha

Peneire os secos e misture com a manteiga. Misture muito bem. A massa pode parecer muito molenga e grudenta, mas acredite, vai dar certo! Mas se quiser que os biscoitos fiquem mais sequinhos pode colocar mais farinha, eu acho

Modele os biscoitinhos como desejar (de preferência deixe os biscoitos mais gordinhos pois a massa acaba esparramando um pouco) e coloque no forno pré aquecido a uma temperatura média (não sei exatamente pois meu forno é maluco). Verifique quando a parte de baixo começar a parecer douradinha, mesmo que a parte de cima esteja um pouco mole, quando você tira o biscoito do forno e deixa esfriar ele acaba endurecendo. A cada fornada o biscoito fica pronto mais rápido! Coloque um pouco de açúcar por cima e voilá! Biscoitinhos que podem acabar num piscar de olhos!

Acabou que não rolou piquenique, não rolou Jardim Botânico e o namorado ficou sem biscoitos, pois foram devorados hoje mesmo.

Até a próxima!